sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Estudos Bíblicos: Colossenses 1:1-14 -TODA SABEDORIA E ENTENDIMENTO ESPIRITUAL


Texto Bíblico: Colossenses 1:1-12

 
Tópico Geral:
 

SAUDAÇÃO, AGRADECIMENTO E ORAÇÃO DE PAULO PELOS CRENTES DE COLOSSOS
 

 
A CIDADE DE COLOSSOS

      A cidade de Colossos ficava a sudoeste da Frígia, na Ásia Menor, às margens do rio Lico. A cidade foi importante no século V a.C.. Depois foi perdendo sua importância diante do crescimento de Laodicéia, a 18 km, e Hierápolis (Col.4.13). O livro de Apocalipse confirma que Laodicéia era uma cidade rica (Ap.3.18).

      Colossos perdeu sua importância devido à mudança no sistema de estradas. Isso passou a beneficiar Laodicéia.

      A cidade dos colossenses foi destruída no século 12 d.C.. Escavações arqueológicas realizadas em 1835 descobriram um teatro e um cemitério da cidade.


Esboço da Lição:

A.  Introdução.

1.   O autor – Paulo (Cl 1:1)
2.   Os destinatários – os crentes de Colossos (Cl 1:2)
3.   A época em que foi escrita a carta
4.   As razões por que foi escrita 

B. Agradecimento de Paulo aos crentes Colossenses (Cl 1:3-8)

C. A oração de Paulo pelos crentes (Cl 1:9-14) 

Esboço Desenvolvido

 

A.  Introdução. 

1.    O AUTOR – PAULO  

a)   O livro de Colossenses, é uma das cartas de Paulo (Cl 1:1) 

b)   Assim como todos os escritos de Paulo no Novo Testamento, Colossesnses é a Palavra de Deus, pois Paulo foi guiado para escrever cada palavra pelo Espírito Santo. 

c)   Paulo apresenta a si mesmo como “...apóstolo de Cristo Jesus por vontade de Deus...”. Ele foi escolhido pelo próprio Senhor Jesus depois de ressurreto e enviado como Seu representante para pregar o Evangelho.
 
2.   OS DESTINATÁRIOS – OS CRENTES DE COLOSSOS (Cl 1:2). 

a)   Paulo escreveu esta carta “Aos santos e fiéis irmãos em Cristo que se encontravam em Colossos...”. 

b)   Quando Paulo escreveu “Aos santos e fiéis irmãos...”, ele ão estava escrevendo a duas classes de crentes.  

c)   Todos os filhos de Deus são “...santos...”, isto é, eles foram separados do pecado e deste mundo para se tornarem um povo de propriedade exclusiva de Deus. E todos eles são “...fiéis...”, isto é, são aqueles que confiam apenas em Cristo. 

d)   Paulo nunca esteve em Colossos e, portanto, não era conhecido pessoalmente por muitos dos crentes de lá.  

e)   Mas o evangelho tinha sido pregado para eles por Epafras, o evangelista que havia fundado três igrejas no Vale do Lico, no interior da província romana chamada Ásia: Colossos, Laodicéia e Hierápolis. Epafras provavelmente foi salvo através do ministérios de Paulo em Éfeso durante sua segunda viagem missionária (evidências de que ele foi o fundador. “fiel ministro... (Cl 1:7,8; 2:1; 4:12,13). 

Vê no mapa: Éfeso e Colossos


·         Apesar de antes não ter o privilégio de conhecê-los pessoalmente, Paulo amava os novos convertidos que faziam parte daquela pequena comunidade cristã de Colossos.  

·         Esse amor, ele o expressava dando constantemente graças por eles a Deus, e fazendo petições em favor daqueles que criam no Senhor.  

·         Paulo animava aos irmãos a uma fé comprometida, no qual teria uma consequência inevitável: o florescer do amor fraternal com todos os santos (v: 4).  

·         Dentro do corpo de Cristo é impossível não haver auxílio mútuo, mesmo quando os irmãos estão geograficamente separados (como era o caso de Paulo, distante dos Colossenses a mais de 1.500 quilômetros).  

·         A única explicação para esse amor é a operação do Espírito Santo, como evidência a frase “amor no Espírito” (v: 8). 

3.   DATA E LUGAR DA ESCRITA. 

Foi escrita por Paulo durante a sua prisão em Roma (4:3; 4:18), aproximadamente no ano 60 ou 61 d.C. 

4.   O MOTIVO DA CARTA (As razões porque foi escrita). 

a)   Enquanto estava na prisão, Paulo recebeu a visita de Epafras, que tinha levado o Evangelho a Colossos.  

b)   Mas, apesar de Epafras ter  dado um relatório bastante favorável quanto a fé que eles tinham no Senhor Jesus e o amor deles por todos os crentes, também disse a Paulo que falsos mestres tinham entrado na Igreja de Colossos com doutrinas contrárias à verdade. 

c)   Quando Paulo soube disso, escreveu esta carta  aos colossenses. Seu próposito era encorajar os crentes a permanecerem firmes em sua fé no Senhor Jesus e a não aceitarem as doutrinas dos falsos mestres. 

d)   Devemos aprender com isso que é responsabilidade de todos os crentes, especialmente daqueles que ensinam a Palavra de de Deus, se guardarem de qualquer ensino que nõa esteja de acordo com a verdade. 

e)   Não devemos ignorar notícias sobre ensinos falsos sendo dados a crentes individualmente, a igrejas com as quais temos comunhão.

f)    Se não formos cuidadosos e não tentarmos corrigir esses erros depressa, poderá ser tarde demais, pois muitas vidas podem ser atingidas e mesmo igrejas inteiras desviadas da verdade. 

g)   Não se esqueça do conselho de Paulo às igrejas na Galácia de que falso ensino é como fermento, que, se permanecer, afetará toda a igreja (Gl 5:9).    

Embora nunca tenha passado por Colossos, Paulo esteve em Laodiceia, em sua terceira viagem missionária (ver: Atos). 

B.  AGRADECIMENTO DE PAULO AOS CRENTES DE COLOSSENSES (CL 1:3-8).

ü  O que falam a nosso respeito? 

a)   Interessante que quando lemos os versículos 3-8, vemos claramente que os relatos que chegam ao apóstolo, são os melhores possíveis, passado por companheiros fiéis e dignos.  

b)   Muitas vezes nos preocupamos com comentários ou o que falam a nosso respeito e outras vezes não temos a mesma preocupação com nossas posturas e nosso proceder. Paulo fala no verso 4 e no 8, sobre o amor e a fé que eles tinham para com os outros, não era uma fé virtual e que não era colocada na prática, era real e vivida no dia a dia. 

c)   Em um mundo de religiosos e frequentemente marcado por relacionamentos artificiais e pessoas que mais parecem personagens, é muito interessante notarmos o que é falado a respeito da igreja.  

d)   ELES NÃO APENAS VIVIAM O EVANGELHO, MAS TAMBÉM FRUTIFICAVA E CRESCIA NO MEIO DELES.  

·         A Palavra de Deus tem Frutificado em nossas vidas?
·         Ele tem crescido ou  permanecemos iguais ou mesmo piores do que já vivemos? 

I.           A ORAÇÃO É IMPORTANTE (CL 1:3). 

a)   Fica muito claro pelas cartas do apóstolo Paulo que ele cria que a oração era muito importante. Leia Romanos 1:8-9; Efésios 1:15-16; 1 Tessalonicenses 1:2. 

b)   Nós também jamais devemos esquecer que Deus nos responsabilizou como indivíduos e como um grupo a orar a Deus rogando Suas bênçãos sobre nós, sobre outros crentes e sobre cada parte do trabalho de Deus que Ele nos tem confiado. Leia Atos 2:42; Efésios 6:18-19. 

c)   Paulo deu graças pela fé dos colossenses em Cristo Jesus e pelo amor deles por todos os santos.

d)   Há muitas coisas que são importantes na vida dos filhos de Deus, mas estas duas – fé no Senhor Jesus e amor pelos outros – são as mais importantes de todas.  

e)  Por isso, devemos perguntar a nós mesmos:  

ü  Será que eu tenho fé no Senhor Jesus como meu Salvador e estou confiando nEle diariamente para suprir todas as minhas necessidades?
ü  Será que estou permitindo que o Espírito use-me para amar as pessoas, mesmo aquelas que me maltratam?

II.        A ESPERANÇA DOS CRISTÃOS (Cl 1:5) 

a)   Depois de dar graças a Deus pela sua fé e amor, o apóstolo falou da esperança que esses crentes tinham.  

b)   Onde quer que lemos sobre esperança, no Novo Testamento, trata-se da esperança que os crentes tem de que o Senhor Jesus em breve voltará para nos levar para morarmos com Ele no Céu, para todo o sempre (Cl 1:5). 

c)   A esperança dos crentes “...está preservada nos céus...”. A razão para isso é porque lá é onde está o nosso Salvador.  A esperança dos crentes não está aqui na terra, pois esta terra ainda é controlada por Satanás e será destruída por Deus algum dia.

d)   Nossa esperança é uma certeza absoluta. 

ü  Por exemplo, alguém pode desejar ir a São Paulo, mas não há qualquer certeza de que um dia irá. Alguns fatores poderiam contribuir para impedir a viagem. Por exemplo:
·        Pode não ter dinheiro bastante para pagar a passagem;
·        Ou pode ser que na hora que estiver pronto para viajar, adoeça.
·        Muitas coisas poderiam acontecer que impediriam a pessoa de chegar a São Paulo.
·        Mas será que há alguma coisa que possa impedir o Senhor Jesus de voltar e levar-nos para morar com Ele no céu? A resposta é: NÃO!  

ü  Nossa esperança não é apenas um desejo de que isso aconteça; é uma certeza absoluta. Sabemos que isso acontecerá porque Deus que não pode mentir, assim o prometeu (Tt 1:2).

ü  Paulo falou sobre a esperança dos crentes em sua primeira carta aos Tessalonicenses. Leia I Tessalonicenses 4:13-18. 

III.     A BOA SEMENTE DO EVANGELHO (Cl 1:3-6) 

a)   Os colossenses tinha ouvido o Evangelho e isso os levou a crer em Cristo e a esperar pela Sua volta. Paulo disse que o Evangelho “...está produzindo fruto...”.

b)   O Evangelho é a boa semente. Quando é plantado em solo (coração), isto é, em solo preparado, o Evangelho cresce e produz fruto.  

c)   Talvez você se lembra da parábola que o Senhor Jesus propôs comparando o Evangelho à boa semente que, quando semeado em bom solo, cresce e produz fruto.  

d)   No texto que lemos, mostra que primeiro, Paulo preparava as pessoas para o Evangelho, ensinando-lhes que eram pecadoras incapazes de agradar a Deus ou de escapar do Seu julgamento.  

e)   Isso preparava o solo, ou seja, os seus corações para receberem a boa semente do Evangelho. Quando eles criam no Evangelho, eram salvos do poder do pecado e de Satanás e nasciam na família de Deus (v. 11,12). 

f)    Por saber que o Evangelho poderia mudar vidas até mesmo dos piores pecadores se eles apenas crescem, Paulo não se envergonhava de pregá-lo até mesmo em Roma, a capital e a cidade do imperador (rei) Leia Romanor 1:15-16.  

O PORTADOR DA CARTA:

Epafras o “... fiel ministro de Cristo...” que levou aos colossesnses a verdade da graça de Deus revelada através do Evangelho (Cl 1:7). 

IV.       O AMOR DOS CRISTÃO EM COLOSSOS 

“O qual também nos declarou o vosso amor no Espírito” (Cl 1:8). 

a)   Eles permitiram que o Espírito Santo controlasse suas vidas, e assim eles expressavam seu amor pelos outros. 

b)   Nós também podemos amar verdadeiramente uns aos outros e aos não-salvos, se estamos sendo controlados pelo Espírito Santo. Gálatas 5:22 diz: “...o fruto do Espírito Santo é amor...”. 

C.   A ORAÇÃO DE PAULO PELOS CRENTES (PAULO O INTERSCESSOR) (Cl 1:9-12) 

Na oração, Paulo pediu que Deus concedesse aos crentes um completo entendimento da vontade de Deus para que eles soubessem como viver:
ü  Em toda sabedoria em entendimento espiritual (Cl 1:9,12).
ü  Para um viver de modo digno do Senhor e para o Seu inteiro agrado (Cl 1:10.
ü  Frutificar em toda boa obra (Cl 1:10).
ü  Crescer no pleno conhecimento de Deus (Cl 1:10
ü  Fortalecidos com todo poder segundo a força da sua glória (Cl 1:11).
ü  Perseverança e longanimidade com alegria (Cl 1:11).
ü  Dando graças ao Pai (Cl 1:12). 

a)   Paulo orava por eles, para que permanecessem firmes, mas também que eles amadurecessem, crescessem, em conhecimento da vontade de Deus, em sabedoria e entendimento espiritual. 

b)   O objetivo era que eles conhecessem a vontade de Deus tão claramente que fossem capazes de tomar as decisões corretas em todas as áreas de suas vidas.  

c)  Esse conhecimento não é um mero entendimento natural, mas, como Paulo disse, é “...entendimento espiritual”. Esse entendimento só é alcançado por aqueles que aprendem a Palavra de Deus através do espírito Santo (Ef 5:18-19).

·        Além disso, o desejo do apóstolo era de que eles fossem fortalecidos no Senhor, para terem paciência e perseverança.

·        Precisamos orar mais uns pelos outros, mas não apenas pedir por bênçãos materiais, milagres e curas.  

ü  Não que isto não seja necessário ou importante, mas devemos investir tempo em orar pelo CRESCIMENTO E PROGRESSO ESPIRITUAL de nossos irmãos;  

ü  Para que amadureçam e possam frutificar em toda boa obra, ganhar vidas, ajudar os que precisam;  

ü  Orar por aqueles que precisam sair do estágio de “bebes espirituais”, sempre dependentes dos outros, para que sejam  cristão maduros e frutíferos.  

ü  A substância da oração do apóstolo é de que eles, de maneira prática, vivam de forma digna. 

Paulo continuou expressando seus desejos pelos colossenses. (Cl 1:11). 

  1. Se nossas mentes estiverem abertas para o ensino da Palavra,  e corresponder com obediência, nós seremos "... fortalecidos com todo poder, segundo a força a da sua gloria...". 
  2. Seremos constantemente fortalecidos, não pela nossa própria forca natural, mais pelo poder de Deus.
E quais são os resultados? 

1.   A forca de Deus nos capacita para crescer "...em toda perseverança e longanimidade com alegria".  

2.   Quando Deus permite sofrimento em nossas vidas, tal como a morte de um ente querido, nós pacientemente continuamos a confiar nEle. 

3.   E se os outros deliberadamente nos maltratam, seremos longânimo, lidando com eles amavelmente e sem vinganças. Não seremos apenas pacientes, também seremos alegres. 

4.   Apesar das dificuldades, seremos capazes de permanecer alegres por causa de nossa dependência da força do do Senhor, e não da nossa.  

DANDO GRAÇAS AO PAI... (Cl 1:12-14). 

1.   Gratidão é a última coisa que Paulo menciona que será evidente em nossas vidas se tivermos transbordando "...do pleno conhecimento da sua vontade", como diz o versículo 9. 

2.   É tão mais fácil murmurar do que dar graças.  

3.   Lembrem-se de como os israelitas agiam quando estavam no deserto? A pesar de o Senhor tê-los libertados da escravidão do Egito e de estar conduzindo-os à terra que tinha prometido a seu pai Abraão, eles murmuravam muito mais do que davam graças. 

4.   Devemos aprender com os erros deles e deixar que Deus nos ensine e fortaleça a fim de que sempre sejamos gratos a Deus, nosso Pai (1 TS 5:18). 

5.   No versículo 12, Paulo dá a primeira razão por que devemos ser sempre gratos ao nosso Pai celeste. 

6.   Quando fomos ao Senhor como pecadores, éramos totalmente incapazes de permanecer diante de Deus. Não havia nada de bom em nós que permitisse compartilhar do que Ele havia prometido aos Seus filhos.

7.   Mas, em Sua graça insondável, Deus nos revestiu da justiça do Senhor Jesus a fim de que fôssemos totalmente aceitos por Ele.  

8.   Ele nos preparou para que permanecêssemos em Sua Santa presença e desfrutássemos de nossa herança – tudo que pertence ao Senhor Jesus.
 
Leia Colossenses 1:13 

a)   Assim como os israelitas eram mantidos na escravidão no Egito, nós éramos mantidos cativos pelo “...império das trevas...”. 

b)   Éramos escravos sob a autoridade de Satanás e do pecado, os quais ainda reinam perversamente sobre aqueles que pertencem a este mundo vil. 

c)   Mas, assim como Deus libertou os israelitas da escravidão no Egio com o propósito de conduzi-los à terra prometida, assim também nos resgatou e nos transportou para “...o reino do Filho do seu amor”. 

d)   Ele nos colocou sob a autoridade do Senhor Jesus, Aquele que é o alvo central do amor de Deus. 

Ø  Quão maravilhosa é a nossa presente condição, pois o Pai nos fez idôneos “...para participar da herança dos santos na luz”! 
Ø  E ainda, como é maravilhosa a nossa posição, pois Ele “...nos transportou para o reino do Filho do seu amor”! 
Ø  Que boas razões são essas para darmos graças ao Pai, continuamente! 

Mas como foi que tudo isso aconteceu? 

Como é que fomos líberos do poder de Satanás e do pecado e feitos aceitáveis ao Pai para que agora possamos desfrutar de todas as bênçãos que Ele tem dado aos Seus filhos no reino de Seu Filho amado?  

Leia Colosenses 1:14 

O Senhor deu o Seu sangue para pagar o preço necessário pela nossa libertação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário